Telefone Residencial

tudobandida@hotmail.com

Um espaço para contos, conversas, diálogos, discursões, quebrar o pau, lavar roupa suja, ter a temível DR.

Direitos Autorais: © Todos os direitos são reservados. Os direitos autorais são protegidos pela Lei nº 9.610 de 19/2/98. Violá-los é crime estabelecido pelo Artigo 184 do Código Penal Brasileiro. Se você quiser copiar, não esqueça de divulgar a autoria.


Archives


15:20
 

O Vestidinho esvoaçante


Eu nunca vou entender os homens... Juro que tento! (Aham.. claro que tentam.. tanto que até me emociono.. ) Me esforço.(A gente não é complicado, vocês que complicam o fácil!!) E por algumas vezes até cheguei a pensar que tivesse algum tipo de déficit cognitivo. Qual a razão? Vou explicar, depois vocês, amigas, me contem se algo parecido já aconteceu a vocês ou é meu karma.

Sexta-feira, dia de exorcizar o cansaço, pingar colírio nos olhos, colírio de todas as cores e tamanhos, colírios que vão e vêm, colírios risonhos, sérios, colírios com aromas distintos que inebriam a alma, o corpo e enfim de toda a sorte e para todos os gostos. (Leia-se.. dia de ficar olhando os machos que estão disponíveis na vitrine, escolhendo o melhor pedaço da picanha.. vulgo: caçando.)
Estava eu, senhorita de respeito (aham), dentro do vestidinho leve, tom areia, frente única, aquele vestidinho que quando o vento sobe pelas pernas as moças de família disfarçadamente apóiam as mãos ao lado das ancas para que não suba.(e os cafas de plantão ficam com torcicolo o resto da semana para tentar ver se debaixo da roupa tem DuLoren.)
Pois bem, estava quietinha em meu lugar, sentada comportadamente a conversar com alguns colegas, a observar o movimento, bebericando Malibu com tônica. Aquela coisa toda que vocês já conhecem, amigos, amigos dos amigos, junta mesa, o grupo cresce, você olha para um e para outro e de repente...não mais que de repente... Certeira flecha que te acerta o coração. (aha.. notem que ela descobriu fácil o macho alpha..) Ele se senta ao seu lado...Ahhh...mas eu não sou mulher de cair assim em um primeiro ataque, (aham.. caiu facinho.. facinho..) resisto firmemente. Convenhamos, nenhuma mulher cai a um primeiro ataque.
Somos apresentados beijinhos, conversas...conversas... E parece que as outras pessoas desapareceram e há somente você e ele na mesa. E quem precisa dos outros colírios? Que colírio? (Ela me conhece... ) Pronto, quando esquece que existem outros colírios na área é sinal de que estás prestes a perder o realismo. E eu o perdi. (Ela perdeu e você se fud.. ahn.. se ferrou de verde e amarelo com a regência do DUNGA!) Sou ré confessa. Perdoem-me, amigas. (Que perdoar o que.. ela conseguiu o melhor produto da praça.)
Perdi logo que veio o galanteio que enalteceu minha auto-estima.Assim que retornei de ir ao toalleti, com as mãos ao lado das ancas por causa do vento praieiro ouvi o elogio:

- Adoro mulher de vestido! E você é está linda nesse vestido! (Claro que não foi isso que eu disse.. olha que coisa mais clichê!!! Eu tinha um manual cafa todinho decorado para cada situações, e disse algo como: Sempre achei mulher de vestido linda.. mas agora. Eu estou completamente fascinado...)

Bem, eis que o tempo passa...

-Ana Paula! Aonde você vai vestida assim?
-Biel... hoje é segunda, vou trabalhar né!! (Aham!! Ela agora compra vestido à prestação.. os pedaços vêm quando ela vai pagando. Na ocasião não era mais que um Sinto. Um sinto muito vc não vai com essa roupa!)
-Desse jeito? Mas não vai mesmo! Pode tirar essa pouca vergonha! – notem, minhas amigas, que o vestido que eu usava, era o mesmo que nas linhas acima descrevi o recebimento do elogio. (Ela trabalha numa loja de roupas de praia. Outro dia queria ir de biquini e canga, para como dona da loja, demonstrar os produtos. É pagode né?)
-Mas...eu achei que... Está feio? (Tava linda esse era o problema. Dava pra ver o útero da Ana Paula com aquele vestido!) Eu estou feia nele? Qual o problema? – já estava olhando-me a procura de uma mancha ou gordurinhas em excesso. (não tinha nada em excesso.. tinha em falta.. de pano)
-Achou que o que? Olhe pra você! Tá achando o que? Não está feia.... é que você vai trabalhar, se eu estivesse com você tudo bem! (Ta achando machismo né? Não é tu que teria que ouvir neguinho na rua dizendo que tua mulher é gostosa pra caralho. Ou procurando gracinha com ela. E ela fica tão bem de vestido longo...)
- Eu não to achando nada. É pra achar? (não é ave Maria, mas é cheia de graça)– eu não estava entendendo. O que tinha o vestido? (Já disse.. não tinha..pano) E as mulheres não deveriam usar vestido? (aham) E eu não ficava linda naquele? (Aham) Eu queria ficar linda!
Senti o olhar congelante, a cara fechada e achei melhor mudar de vestido... (claro que eu fui atrás pra saber que pouca vergonha ela ia colocar agora.. e não é que ela tava usando Du Loren??? É.. eu tenho baixo fator imunológico a ela de lingerie...) E essa coisa de tirar a roupa, sabe... pois é...não deu outra! (a deu sim.. e mais de uma!!) Mas estou até agora pensando no que há de errado com o vestido. (Que vestido??? Aquilo é uma blusa mais comprida!)

Ela disse.


Hoje os pratos sãos seus!

22 :...Ela disse!!! Ele disse!!!...: